Acredite, você também pode construir um mundo melhor!

Role para baixo

“Quero fazer a diferença” é a frase que mais figura os e-mails que recebo dos seguidores do Moporã. Foi também o tema de uma calorosa discussão entre os participantes do Workshop Propósito de Vida que ministrei semana passada. E já há algum tempo era (e ainda é) a angústia de muitos colegas de trabalho meus, que não sentiam que passar seu tempo planejando uma campanha de marketing ia contribuir para a construção de um mundo melhor.

Eles querem algo a mais: fazer uma contribuição para as pessoas e para o planeta e colocar seus valores em prática. As pessoas querem, no fim da vida, olhar para trás e sentir que a marca da sua existência foi deixada no mundo.

Intuitivamente, muitas pessoas sentem que fazer a diferença é um caminho promissor para uma carreira realizadora. E não é à toa: isso já foi cientificamente comprovado por diversos estudos. Mihaly Csikszentmihalyi, um dos pais da psicologia positiva, diz que o “bom trabalho ” – que se define como o “trabalho de grande qualidade que beneficia a sociedade como um todo” – consistentemente apresenta altos níveis de satisfação profissional.

A grande questão aqui é como fazê-lo. Muitas vezes, as pessoas partem do pressuposto de que carreiras que “fazem a diferença” estão diretamente ligadas a serviços de caridade e à abnegação material (para fazer a diferença no mundo você não pode ganhar dinheiro). Ou ainda que está relacionado à expectativa de uma grande obra ou realização que está a anos luz do nosso alcance. Pode parecer então que, para fazer a diferença, o esforço será tamanho que preferimos deixar as tarefas nobres de erradicar a fome do planeta, descobrir a cura do câncer ou ganhar um prêmio Nobel para os “diferenciados”.

Essas são as duas maiores falácias que acompanham o desejo de “fazer a diferença”.

O sentimento de que estamos contribuindo para um mundo melhor é muito menos relacionado ao que você faz e muito mais a como você faz e para quem você faz.

Ofereço a você três reflexões:

Você sabe qual é o impacto do seu trabalho? Mesmo? Eu sei que uma das maiores frustrações é a de não conseguirmos ver, de forma concreta, os impactos do nosso trabalho nas pessoas e/ou no planeta. Digo isso por experiência própria, onde apesar de passar a maior parte da minha carreira trabalhando com Desenvolvimento de Pessoas na área de RH de uma grande empresa, não via com clareza os efeitos do meu trabalho nas pessoas. Felizmente o universo me presenteou com uma breve conversa que mudou toda a perspectiva que eu tinha do meu trabalho nos últimos 6 anos. Logo na semana que eu anunciei minha saída da empresa, esbarrei com uma colega de trabalho no corredor. Nós havíamos interagido pela última vez uns 3 anos antes, quando ela ainda era estagiária e eu responsável pela gestão do Programa de Estágio. Ela veio me desejar boa sorte me agradecer por ter sido uma das responsáveis pela sua mudança de carreira. Não entendi porque a atribuição dessa responsabilidade a mim e ela me contou que, em um dos vídeos do processo de seleção da empresa, eu falava com tanta paixão do meu trabalho, que despertou nela a vontade de um dia também trabalhar com recursos humanos. Hoje ela estava feliz da vida com a nova vaga.

Talvez na hora eu não tivesse a menor noção do quanto minha fala poderia impactar a vida de alguém e isso nos leva para a segunda reflexão:

Não importa o que você está fazendo, faça bem feito: Esteja 100% focado no que você estiver realizando. Nosso potencial de transformação e de criação encontra-se somente no momento presente e nosso potencial de impactar as pessoas e o mundo somente se dá quando transformarmos nossas ações em reflexos de nossos valores. Por isso, quando fizer algo, faça-o da melhor maneira que puder, com atenção, presença e verdade, pois somente quando algo é genuíno que podemos contagiar outras pessoas e propagar aquilo que acreditamos no mundo.

E, por fim, saiba a quem você está oferecendo o seu talento: Todo dom ou talento que se manifesta em você pode ser usado de maneira produtiva e diferenciada, qualquer habilidade profissional pode ser aplicada em um trabalho que faça diferença: Você pode usar seu talento em marketing trabalhando para uma cadeia de fast – food ou para uma Empresa de Alimentos Orgânicos. Você pode oferecer sua experiência em Contabilidade para um Banco de Investimento ou para um Banco Social.

No final, a escolha de fazer a diferença é sempre sua!

[Crédito da Foto: Daniel Funes Fuentes]

25 Compart.
Compartilhar24
Compartilhar1
Twittar
WhatsApp