Como o mercado freelancer está revolucionando o mundo do trabalho

Role para baixo

Existem muitas possibilidades de negócios para você criar sua vida de Nômade Digital. Uma das principais modalidades, que apresentou um crescimento de mais de 50% nos últimos 5 anos, segundo a Business Insider, é a atividade de freelancer, ou freela, como é mais conhecida aqui no Brasil. O  freela é um profissional autônomo que se autoemprega em diferentes empresas ou, ainda, guia seus trabalhos por projetos, captando e atendendo seus clientes de forma independente.

Para você ter uma ideia, só nos Estados Unidos estima-se que este mercado movimentará meio bilhão de dólares em 2014, com quase 3 milhões de projetos. E a tendência é crescer cada vez mais pois o freela online está na crista da onda quando o assunto é futuro do trabalho.

O mundo corporativo vive uma crise. A rápida mudança que estamos vivendo da economia industrial para a economia do conhecimento tornou o modelo de trabalho das grandes corporações obsoleto. Hierarquias rígidas, comando e controle, falta de autonomia, carreiras engessadas e rigidez na definição das atividades tem provocado uma verdadeira diáspora do mundo corporativo, sobretudo para o mais jovens que sofrem um choque quando vêem que o mundo rápido, dinâmico, colaborativo e digital no qual cresceram está bem longe da realidade que encontram nas empresas. Segundo pesquisa do Sonho Brasileiro, feita pela BOX 1824 com jovens de todo o Brasil de 18 a 24 anos, a profissão líder no ranking das “profissões dos sonhos” é ser empreendedor.

O mundo corporativo está chato e esse é um tema quente nos RHs mundo afora. Dos vários estudiosos que pesquisam o tema de relações do trabalho e seu futuro, eu gosto bastante do pensamento do Thomas Malone do MIT. Ele diz que quanto mais os custos de comunicação caírem (custo da banda larga, para manter um domínio e página na web, ferramentas para montar um site, etc), maior a tendência para o crescimento das microempresas especializadas, ao limite de você ser a sua empresa!  E é exatamente o que o freela é: uma nano-empresa (se é que existe esse termo). Hoje é muito barato começar um negócio online, o investimento financeiro e de tempo para conhecer as ferramentas básicas é baixo se comparado com outros formas de criar um negócio próprio. E a tendência é ficar cada vez mais acessível e barato com ferramentas cada vez mais amigáveis e de custo baixo. Sem falar das comunidades de freelas (conhecidas como marketplaces) que ajudam no acesso ao mercado de projetos que podem estar em qualquer lugar do mundo (se esse for o seu caminho é importante investir no inglês).

Mas tem um outro fator importante que coloca o mercado freela em evidência nas novas formas de trabalho: ele é baseado em habilidades, ao invés de cargos. Isso parece um detalhe semântico mas não é!  O que vale é a sua habilidade, ou seja o quanto você é bom no que faz. Como está cada vez mais barato acessar o mercado de projetos, você precisa mostrar que tem café no bule. Nesse mundo freela o que conta é a sua reputação e o seu conhecimento. E isso é muito bom para o desenvolvimento profissional e humano. Os profissionais não perseguem um cargo maior ou uma posição de gerência, eles buscam ser referência naquilo que amam fazer. A motivação intrínseca é muito forte porque juntam-se três fatores imprescindíveis para que qualquer pessoa se sinta  energizada: fazer o que gosta (ou ter um sentido de propósito), aprender sempre e autonomia (fazer do seu jeito). Junte estes três ingredientes na sua rotina de trabalho que a ciência já comprova: você vai ter muito vontade para fazer acontecer.

Quem joga videogame conhece bem isso – a cada fase a dificuldade aumenta, mas também aumenta a sua habilidade e você fica doido para passar pelo próximo chefe de fase e ganhar o caneco. Os mesmos mecanismos psicológicos que funcionam nos games estão presentes em outras atividades do seu dia-a-dia e na sua rotina profissional (pense nisso…).

Revolução do trabalho
Top 20 habilidades freelance mais bem pagas por hora

Além disso, o freela tem a liberdade de rotina e autonomia. Trabalha-se muito, sem dúvida, mas do seu jeito e na sua hora. O interessante é que, segundo Thomas Malone, esse tipo de contrato de trabalho tende a crescer inclusive dentro das empresas tradicionais, ou seja, as empresas poderão funcionar como redes de profissionais e você poderá trabalhar em mais de uma ao mesmo tempo. Ficção científica? Só o tempo dirá mas se esse mercado lhe interessa para você criar um estilo de vida que você valoriza, segue abaixo a lista das 20 habilidades (e não cargos!) que melhor pagam por hora no mercado freelancer internacional.

[Crédito da Foto: Brooke Cagle]

43 Compart.
Compartilhar41
Compartilhar2
Twittar
WhatsApp